Tópicos

Entenda como funcionam as bandeiras tarifárias de energia

29 de Agosto, 2017. Por Cláudio Martins

Você já deve ter ouvido falar nas “bandeiras tarifárias”. Mas, você sabe como elas funcionam?

O sistema de bandeiras tarifárias cria uma relação entre o valor pago pelo consumidor e o custo atualizado pago pelas geradoras.

Além de indicar que o custo de geração de energia está elevado, por conta do acionamento de termelétricas para poupar água nos reservatórios, o sistema de bandeiras repassa às tarifas, mensalmente, parte dos custos adicionais na geração. Com isso, a receita que as distribuidoras tiverem com o pagamento será descontada do cálculo do reajuste tarifário anual.

Como funcionam as bandeiras tarifárias?

Elas são classificadas por cores - verde, amarela e vermelha - e indicam, a cada mês, se a energia vai custar mais ou menos em função do custo extra das distribuidoras com o uso de termelétricas.

As bandeiras tarifárias funcionam como um semáforo de trânsito: a bandeira verde significa custos baixos para gerar a energia, portanto, a tarifa de energia não terá nenhum acréscimo naquele mês.

A bandeira amarela indica um sinal de atenção, pois os custos de geração estão aumentando. Já a bandeira vermelha mostra que o custo da geração está mais alto, por exemplo, com o maior acionamento de termelétricas. As bandeiras amarela e vermelha apresentam custos extras nas contas de luz para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Uma vez por mês, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) calcula o Custo Marginal de Operação (CMO) nas reuniões do Programa Mensal de Operação (PMO) - quando também é decidido se haverá ou não a operação das usinas termelétricas e o custo associado a essa geração. Após cada reunião, com base nas informações do ONS, a Aneel aciona a bandeira tarifária vigente no mês seguinte.

Por que as bandeiras foram criadas?

As bandeiras tarifárias são uma forma diferente de apresentar um custo que hoje já está na conta, mas geralmente não é percebido. Elas informam o custo mensal de geração da energia elétrica, dando ao consumidor a oportunidade de ajustar seu consumo ao seu preço real da energia.

A energia elétrica no Brasil é gerada, predominantemente, por usinas hidrelétricas. Para funcionar, essas usinas dependem das chuvas e do nível de água nos reservatórios.
Quando há pouca água armazenada, usinas termelétricas podem ser ligadas com a finalidade de poupar água nos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Com isso, o custo de geração aumenta, pois essas usinas são movidas a combustíveis como gás natural, carvão, óleo combustível e diesel. Por outro lado, quando há muita água armazenada, as térmicas podem ser menos utilizadas e o custo de geração é menor.

Como se proteger disso?

Existem outras formas de geração de energia, além das hidrelétricas e termelétricas, muito mais sustentáveis e econômicas, se pensarmos a longo prazo. Entre elas, estão as usinas solares que, além de contar com uma fonte inesgotável e gratuita de energia (o Sol), não dependem de bandeiras tarifárias.

O sistema de energia solar funciona como uma compra antecipada de energia. Assim, o consumidor não fica suscetível aos aumentos de tarifa e de impostos, além de economizar até 95% na conta de luz.

Já pensou em ter uma usina solar em casa e começar a gerar sua própria energia? Neste mês de agosto, a Enova está com uma promoção que vai ajudar você a colocar isso em prática.

Você vai poder parcelar seu gerador solar pagando o mesmo valor da sua conta de energia, dividindo a entrada em até seis vezes sem juros e financiando o saldo em 36 parcelas. E mais: as instalações solicitadas até o fim do mês ganham 5% de desconto no orçamento.

Não perca mais tempo. Faça uma simulação grátis!


(Com informações de EBC)

Voltar