Tópicos

Pesquisador brasileiro cria fogão movido a energia solar

17 de Agosto, 2018. Por Cláudio Martins

Cozinhar está caro. E aqui não falamos do preço dos alimentos, mas sim do gás de cozinha: o valor médio de um botijão no Brasil em junho foi de R$ 68,77, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustívei.

 Se dependesse do paraibano Luiz Guilherme Meira de Souza, coordenador do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte haveria uma alternativa acessível aos botijões. E ela envolveria um recurso natural especialmente abundante no Brasil: a luz solar.

Luiz Guilherme pesquisa energia solar há 30 anos e já ajudou a projetar dezenas de fornos e fogões solares. "Eu construí meu primeiro fogão solar em 1986 na UFRN, quando vim para Natal. Isso depois de me formar na Universidade Federal da Paraíba, que é uma das referências no estudo de energia solar junto com a Unicamp", afirma.

É natural que ao ouvirmos falar de um projeto do tipo surjam dúvidas sobre a sua viabilidade e, principalmente, funcionalidade. De acordo com Luiz Guilherme, seus estudos - e também de alunos formados pela UFRN - levaram isso em consideração.

 "O fogão solar em si não é criação minha, mas eu comecei a usar novos materiais e especificações para a parábola de maneira a torná-lo competitivo em relação ao desempenho do fogão a gás”.

 O princípio de funcionamento do fogão solar envolve parábolas reflexivas capazes de concentrar a radiação do sol em direção ao que seriam as "bocas" de um fogão convencional. Luiz Guilherme explica que cálculos determinam o formato da parábola e do seu posicionamento. Em seguida, é feito um molde de areia ou cimento, que dará forma à base da parábola.

Os materiais utilizados para a base da parábola variam, podendo ser fibra de vidro, resina, entre outros. Uma vez moldada, a parte de dentro da parábola é revestida de pedaços de espelhos, que podem ser obtidos de sucata.

Cada "boca" do fogão tem mais de uma parábola e todas elas são as responsáveis por concentrar a radiação solar. "Se usássemos apenas um foco solar, o desempenho não seria tão bom quanto o de um fogão a gás”.

Fonte: Rodrigo Lara, do UOL. https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/07/11/gas-caro-pesquisador-brasileiro-cria-fogao-movido-a-energia-solar.htm

Voltar